1
três palavras

Claudia Jaguaribe

1. Diálogo

Até pouco tempo a palavra “diálogo” me parecia algo banal, além de pouco inspirada, e eu não tinha por ela nenhum interesse específico. Depois de um ano e meio, lendo os medos enviados ao meu site “Você tem medo do quê?”, só consigo pensar nessa palavra. O diálogo se transformou hoje na grande ausência, numa impossibilidade que se apresenta assustadora. Falar em diálogo é falar na dificuldade contida no próprio ato de dialogar. A palavra passou a ser um mistério, pois na maior parte das vezes nem entendemos os meios pelos quais se dá um verdadeiro diálogo.


2. Maculelê

Eu precisava de um nome fantasia e me lembrei desta palavra. Achava o seu som muito tinhoso. Não lembrava o sentido exato, e pensava que se referia somente a uma dança. Procurei no dicionário, e de fato é uma dança, mas também quer dizer, em umbundo, “ser leve, rápido, uma provocação”. É uma palavra visualmente rica, e o seu som induz a uma alegria da esperteza, a uma energia vital que toma conta da pessoa quando ela é mencionada.


3. Formar

Formar para mim tem uma abrangência que fascina. Penso em argila, na forma que se cria, em formar fila no colégio, nas formas das nuvens no céu, na formação de uma criança, nas formas de uma paisagem, nas formas de uma cadeira.

.

Claudia Jaguaribe
É artista plástica e fotógrafa, autora de "Cidades" (Companhia das Letras) e "Aeroporto" (Conex), entre outros. Ela está expondo a videoinstalação "Você Tem Medo do Quê?", com textos de Bia Bracher, no Paço das Artes (av. da Universidade 1 - Cidade Universitária - De terça a sexta, das 11h30 às 19h; sábado e domingo, das 12h30 às 17h30).


 
1