1
prosa.poesia

Partida rápida

O poeta americano Vincent Katz lança “Rapid Departure” no Brasil em evento que festeja os dez anos da Ateliê Editorial

A Ateliê Editorial comemora os dez anos de atividade no sábado, dia 17, com um lançamento coletivo de obras, entre elas “Rapid Departures”, do poeta americano Vincent Katz, do qual Trópico publica abaixo quatro poemas. Katz é autor dos livros "Understanding Objects", "Pearl", "Boulevard Transportation" e "New York, Hello", entre outros.

O evento acontece na Pinacoteca do Estado, a partir das 11h, com um pocket show de Luiz Tatit. Serão ainda lançados (e relançados, com a presença dos autores) “Périplos”, de Simone Homem de Mello, “A parte da tarde”, de Fernando Paixão, “O mistério do leão rampante”, de Rodrigo Lacerda, “Todo sol mais o Espírito Santo”, de Lima Trindade, “São Paulo – Trânsitos” e “São Paulo – Vidas”, de Vincenzo Scarpellini, “Música do Parnaso”, de Ivan Teixeira, “Um amor literário”, de Letícia Malard, “O teatro da memória de Giulio Camillo”, de Milton José de Almeida”, “A balada do velho marinheiro”, na tradução de Alípio de Franca Neto, “Nas águas do mesmo rio”, de Giselda Leirner, “Imagens do poder em Sêneca”, de Marilena Vizentini, “Vitrola dos ausentes”, de Paulo Ribeiro, e “Conto até dez”, de vários autores.


Ensaio Geral

O líder, negro e impenetrável como Pluto, ginga
ao som do ritmo, com um apito.
Cerca de 12 garotos, com seus 14 anos, fornecendo as batidas
enquanto Pluto comanda, circula, corrige.
Um deles, na caixa, ri, se afasta, mas uma mão firme
em seu pescoço o traz de volta.
Um outro, sorriso franco e largo, se mantém no grupo.
Corpos bem-feitos fazem música como esporte, o céu
azul-escuro e a praia de Copacabana, o pano de fundo.
A favorita de Pluto é uma garota. Ela dança pedaços
rápidos, em seguida circula de garoto em garoto oferecendo
o mesmo cigarro para uma tragada. Linda, cabelos compridos,
moldada em um collant azul de praia. É o hip hop
brasileiro, a música das ruas, cada compasso uma marcação.
Pluto se aproxima de um dos músicos, o entreolhar
a poucos centímetros, um punhal de madeira
entalhada que tomou da sua garota.
Três meninos negros, muito jovens, assistem, atentos,
como em Nova York se observava o break:
um deles usando uma camiseta com o rosto de Lennon e uma só
palavra inscrita: Lives. O som é maneiro, como manda o
bom estilo de rua, e Pluto orquestra mais uma inovação.
As pessoas se juntam para assistir -isso é música,
com funções diferentes. Uma pausa, e Pluto apanha
um par de luvas de boxe. Daqui a alguns anos sua garota
vai estar envelhecida, talvez amarga. Os seios, tristes.
Mas hoje na noite em que os meninos tocam, ela é perfeita.


As regatas em Sainte-Adresse

para Guto

Ah, vamos caminhar pela praia,
você com sua coleira preta novinha,
eu, de polainas, chapéu e bengala,
e nós dois, com nossas golas

ao vento, à praia, onde
as ondas selvagens podem bater
as rochas e os homens empurram
suas amantes para terra firme

mas nós vamos manter nosso curso
quase à exaustão, só que
você vai me guiar, a latir
que são só uns poucos quilômetros

mais, até que o sol comece a
derramar seus diamantes ao
mar me fazendo lembrar
os triviais quimonos do almoço!

Ah, Guto, tudo isso é tão pequeno
mas você estará lá, em algum lugar
me guiando, como agora faço com
os que estão próximos de mim.


Vastidão

brotos azul-claro em abundância
telhados de argila laranja truncados
céu límpido em brisa
nuvens esparsas decoram o azul
é hora de retomar
a vida de compromissos
agendas, mensagens descartadas
julgamentos tensos e difíceis
o céu deve ser nosso guia
os tons lilás e rosa de hoje
como o sorver vagaroso
de um drinque gelado, refrescante


Fim

estrelas entre as palmeiras
isso basta?
paira a idéia de
que não se está vivo?
pelo menos não da
forma planejada


Poemas de Vincent Katz
Tradução de Regina Alfarano

.

 
1